You are currently viewing A festa de aniversário do Facebook

A festa de aniversário do Facebook

A 4 de Fevereiro de 2004 assistiu-se à criação do Facebook. É hoje inegável que este advento veio alterar a dinâmica das relações sociais.

Neste sentido é importante salientar que o Facebook é um meio para a relação e não um espaço para a relação com os outros. Caso contrário, em termos de funcionamento da mente, as relações exclusivamente virtuais podem fazer sobressair sobressair um lado da personalidade do ser humano que se traduz em relações platónicas. E não é difícil perceber porque se torna tão sedutor, uma vez que neste registo se constrói a ilusão de que é possível manter relações à distância: manipulando a imagem que se transmite ao outro, anulando as diferenças que podem provocar conflitos, criando filtros sobre quem ou o que ver, enfim um mundo moldado à nossa imagem onde só figura o que desejamos.

As verdadeiras relações partem do pressuposto de que é possível criar e manter amizades aceitando as características e lidando com as diferenças do outro. Pelo espaço virtual não teremos mais do que amigos imaginários high-tech ! Uma conta de Facebook não é condição prévia à existência da Humanidade.

O Facebook não é um ponto de partida para as relações mas uma plataforma de agilização das mesmas e deste ponto de vista torna-se positivo para as dinâmicas relacionais existentes: quando queremos combinar aquele jantar, partilhar com o outro algo que sabemos que é do seu interesse, reencontrar pessoas com quem havíamos perdido contacto, etc.

Acima de tudo é necessário ter a capacidade de reflexão sobre o que  procura quando se utiliza esta ferramenta e que sentimentos provoca ou inibe em si.

Afinal de contas o Facebook enche mas não preenche!

Fica ainda como sugestão a leitura de um estudo, recentemente publicado, sobre os perigos que o Facebook pode representar para quem sofra de baixa auto-estima:

http://psychcentral.com/news/2012/02/03/facebook-may-be-harmful-to-self-esteem/34421.html